Marcos Harter trava briga judicial contra a Globo e exige bolada em dinheiro



– Advertisement –

Marcos Harter/Instagram
Conhecido diante da sua participação nos realities ‘Big Brother Brasil’ e ‘A Fazenda’ ao longo do ano de 2017, Marcos Harter se tornou uma personalidade conhecida perante sua personalidade forte, e em resumo, bastante polêmica.
O médico, que ganhou a atenção do país ao ter sido expulso em plenas vésperas da grande final do reality global no qual lhe trouxe a visibilidade para o país inteiro após agressão sobre Emilly Araújo, sua affair e campeã da edição, entrou com uma ação judicial contra a emissora da família Marinho.
– Advertisement –

+ Marcos Harter fala sobre relação com Emilly Araújo após o “BBB”
De acordo com informações concedidas pela jornalista e colunista Fábia Oliveira, do jornal O Dia, o ex-BBB move um processo contra a Platinada diante do fato de ter se sentido prejudicado após ter sido acusado de agressão a sua antiga namorada, o que não foi comprovado pela investigação. “Ele foi expulso do programa por ter supostamente agredido uma participante [Emilly Araújo]. Só que o juiz do caso criminal que a própria Rede Globo instaurou, inclusive, não aplicou a lei Maria da Penha. Ou seja, não houve agressão à mulher”, disse o advogado Bruno Zilberman, em defesa.
– Advertisement –

+ Ex-BBB Marcos Harter recebe punição do Conselho Regional de Medicina
A defesa do médico, por sua vez, justifica que Emilly concedeu agressão sobre o famoso em uma das discussões a qual protagonizou com ele, e que a própria participante sequer abriu um processo contra o ex. “A Emilly deixou passar o prazo para processá-lo criminalmente, ou seja, ela nem teve interesse em prosseguir com qualquer ação criminal contra ele”, garante o executivo.
+ Marcos Harter manda recado para Hariany após final de ‘A Fazenda 11’
A ação em questão pede em torno de R$ 750 mil, em torno de 25% do valor referente aos R$ 1,5 milhão oferecido pelo programa, caso fosse o campeão, e outros R$ 375 mil a defesa pede por danos morais. Na concepção dos advogados, sua desclassificação ocorreu de maneira premeditada e manchou sua imagem como profissional.